segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

As viúvas-negras de Hollywood

Preâmbulo:
Veja também meus textos mais antigos em



As viúvas-negras de Hollywood

Félix Maier

Ultimamente, tem causado alvoroço nos meios cinematográficos a história picante de um magnata de Hollywood, que teria assediado sexualmente atrizes durante muitos anos, de modo que pudessem obter o desejado papel, que mudaria suas vidas, tornando-as famosas e milionárias.

Trata-se de Harvey Weinstein, que, acionado na Justiça, já se comprometeu a pagar indenização a várias atrizes que denunciaram o crime de assédio do tipo, “ou deita comigo no sofá, ou fora!”

O que causa surpresa é que essas atrizes esperaram cerca de 20 anos para fazer a denúncia. Por que não fizeram essa acusação antes? Por que esperaram antes ser milionárias, para então denunciar o fogoso fauno, dentro da patifaria moderna propagada pelo politicamente correto, que criminaliza bobagens e incentiva, por exemplo, o crime infame do aborto? Ana Paula Henkel, a eterna musa do vôlei, em sua coluna no Estadão, foi ao ponto G da questão, com o artigo “Você tem 20 anos pra tirar a mão daí”.

Nessa onda de denuncismo barato, bem ao gosto dos norte-americanos, que adoram criminalizar tudo para obter dinheiro fácil, o ator Kevin Spacey, da série televisiva House of Cards, sofreu acusação de assédio sexual por parte de vários homens, obrigando-o a sair do armário. Como já havia ocorrido com o galanteador José Mayer, colocado na “geladeira” pela TV Globo, Spacey foi sumariamente demitido pela Netflix.

Nesse tsunami de acusações contra personalidades, é claro que a mulherada em busca de alguma fama e muito dinheiro não deixou passar a oportunidade para fazer acusações contra o ex-presidente americano Bill Clinton e o atual, Donald Trump.

Provas? Existem provas desses aludidos crimes? Todas as acusações procedem, não há nenhuma calúnia? Weinstein (“vinho de pedra”) virou vinagre, foi sumariamente condenado ao ostracismo.

Durante a premiação do Globo de Ouro, realizado no dia 7/1/2018, atrizes de Hollywood se vestiram de preto, para demonstrar seu protesto contra o assédio sexual que teriam sofrido durante o trabalho. Imediatamente, me veio à mente a imagem da viúva-negra, aranha que aplica o ferrão mortal após copular com o macho. As viúvas-negras de Hollywood, hoje famosas e milionárias, levaram 20 anos para aplicar o ferrão mortal. Coisa típica de farsantes, de moral puritano-stalinista.

A atriz Catherine Deneuve, junto com 100 atrizes francesas, criticaram o puritanismo das americanas e foram acusadas de apoiar o estupro, o que é uma deslavada calúnia, porque o grupo afirmou que estupro é crime, sim, mas que o galanteio e a sedução não podem ser considerados crimes machistas.


A noite do Oscar, este ano, promete!

Nenhum comentário:

Postar um comentário